You used to call me your angel, said I was sent straight down from heaven, you'd hold me close in your arms, I loved the way you felt so strong, I never wanted you to leave, I wanted you to stay here holding me…

sábado, 28 de abril de 2012

The Last Song Is Goodbye - Mini Fic





Noite fria. Eu andava abraçada a Joe, agarrada a sua cintura, enquanto ele me abraçava de lado. Joe era do tipo que qualquer garota sonhava, ele era gentil, carinhoso, fofo, lindo e sabia exatamente como tratar uma garota para que ela se sinta como uma princesa. E como em todo conto de fadas toda princesa tem que ter seu príncipe. Ele era o meu. Já era um pouco tarde, mas com ele, eu me sentia segura em qualquer lugar. Caminhamos até um banquinho de uma praça que ficava perto da minha casa.

Joe: Demi, quer saber de uma coisa?

Demi: Claro, meu amor.

Joe: Eu te amo mais que tudo.

Demi: Awn, Joe. Eu também te amo mais que minha vida. – ele sorriu torto pra mim e me abraçou, ficamos assim por um tempo enquanto ele acariciava meus cabelos, olhei para cima em direção dos seus olhos e ele olhou em minha direção, fechei os olhos e selamos nossos lábios com um beijo carinhoso, sem malícia nenhuma, apenas amor. Depois de um tempo ali, Joe me deixou em casa.

Joe: Dorme bem, meu anjo. Eu te amo.

Demi: Você também, meu príncipe. E, eu te amo mais. – eu sorri e me aproximei dele o abraçando e ele beijando o topo da minha cabeça. – Até amanhã, amor.

Ele caminhou em direção da casa dele que ficava a duas casas depois do prédio em que eu morava. Deitei na minha cama já preparada para dormir, mas como sempre não parava de pensar no meu príncipe. Em meios esses pensamentos, meus sorrisos se formavam instantaneamente. Eu o amo muito. Consegui adormecer e como sempre, sonho com ele.
...

As lágrimas pareciam não ter fim, a brisa da noite batia em meu rosto fazendo com que elas secassem, mas era perdido. Eu andava sem rumo. Como isso poderia acontecer? Logo hoje?

Joe: Demi, espera! Me escuta, por favor. - ele falava implorando para que eu desse uma chance de ele se explicar.

Demi: Pra que, Joe? Daqui a algumas semanas você vai estar casado, vai ficar com uma mulher rica, de sua classe. Sei que Denise é uma pessoa ótima, mas ela deixou o poder da empresa subir a cabeça, ela nunca iria querer que eu, uma estudante que divide um loft com a melhor amiga em Nova York e que ainda trabalha como garçonete, sendo que ela tem uma pretendente pra você da alta sociedade, de uma família nobre? Joe, pensa. Ela prefere a Ashley do que eu! – eu não sei como aquelas palavras conseguiram sair, mas as lágrimas caiam, Joe também chorava.

Joe: Minha mãe prefere Ashley, eu prefiro você. É você quem eu amo Demi! Tenta entender.

Demi: Joe, me dá um tempo. Minha cabeça está cheia, depois a gente conversa melhor e com calma. Vou indo pra casa. – lhe dei um pequeno beijo apenas selando nossos lábios e sussurrei um “eu te amo”. Ele me abraçou e eu correspondi.

Joe: Eu também te amo, muito.
...

Demi: Sel, ela não pode fazer isso comigo. Não pode. Ela sabe que eu amo ele demais – eu chorava no colo da Sel, há essa hora. Ela afagava meus cabelos e eu só soluçava.

Sel: Calma, Demi. O amor de você é maior que isso. Eu vejo nos seus olhos e nos do Joe que vocês se amam demais. Eu tenho toda certeza que Denise vai ver isso, e vai deixa vocês dois ficarem juntos. Calma, ok? – ela tentava me acalmar, mas será que Denise ia mesmo apoiar o nosso namoro?

Demi: Tudo bem, Sel. Vou tentar me acalmar um pouco, e caso o Joe ligue não atenda, tá? Vou pro quarto, obrigada amiga, eu te amo. – fui em direção do quarto e Sel ficou na sala. Deitei um pouco e tentei adormecer, mas não consegui. Peguei meu celular 32 chamadas do Joe não atendidas, ele deve estar louco. Retornei a ligação sem chorar, mas meu coração batia mais rápido do que o normal. – Joe? Eu estou bem, por que ligou tanto?

Joe: Eu estava preocupado com você, Demi. Você estava chorando e saiu pra casa sozinha, como acha que eu ia ficar? Por favor, meu amor. Não fica assim. Você confia em mim, não é? Então... não chora, a gente vai sair dessa juntos.

Demi: Tudo bem, Joe. Eu confio em você, mas sabe... isso tudo é um choque pra mim. Eu nunca tive pessoas que me amassem e que eu amo muito comigo, a não ser a Selly, a Ash e a Miles que são tudo pra mim, depois de você. Eu perdi meus pais cedo, e não suportaria te perder, e você sabe que não. – eu chorava muito e eu sentia que Joe estava nervoso, ele odeia me ver chorar.

Joe: Demi, eu estou indo aí, me espera. Em alguns minutos estou aí, ok? Beijos, meu amor. Não chora, eu te amo muito.

Demi: Tá, vou tentar. – tentei limpar minhas lágrimas que insistiam em cair, mas não conseguia. Elas tinham maior poder sobre mim e não me obedeciam. – Eu também te amo muito. – desliguei meu telefone, dei uma breve olhada no espelho, meu rosto estava inchado de tanto chorar. Eu não suporto nem a ideia de ter que perder o Joe. Isso não vai acontecer. Fui ao banheiro lavar meu rosto e escutei a porta se abrir. Já era Joe? Passei água em meu rosto novamente e disse um ‘’já vai’’, seja quem lá fosse não queria que me visse assim. Senti duas mãos abraçar meu corpo por trás. Virei e era ele, o abracei, abracei forte e ele me abraçou de volta. – Promete que a gente não vai se separar e que não vai acontecer nada de ruim? Por favor. – eu o abracei mais forte.

Joe: Demi, eu não vou te prometer nada, ok? Sabe por quê? Porque não vai acontecer nada, confia em mim. A minha mãe não diz quem eu devo namorar ou não. Ela pode ser minha mãe, mas eu te amo, e não vou te deixar. Agora, não chora mais, ok?

Demi: Tudo bem, eu te amo muito, mais do que tudo na minha vida. – me acalmei um pouco, ele me passava segurança, sentia que tudo que ele falava era verdade.
...

Meses depois...

Alguns meses se passaram desde que Denise havia falado aquilo. Ela nunca mais tocou no assunto. Acho que Joe devia ter falado com ela.

Joe: Você vai, não é, Demi? Por favor, você sabe que isso é importante pra mim. – Joe estava tentando me convencer a ir à mansão dos Jonas, ele havia se formado e queria fazer um jantar especial e queria a minha presença lá, mas desde aquela confusão, eu não falo com a Denise e não sei se ela vai finalmente me aceitar.

Demi: Joe, por que você não comemora depois só comigo? Você faz seu jantar com a família e depois saímos só nós dois. Por favor. – eu falei da forma mais doce possível.

Joe: Eu queria você comigo lá, mas tudo bem, comemoramos depois, só nós dois. – Joe beijou a pontinha do meu nariz me fazendo sorrir divertidamente.

Demi: Eu te amo. – o abracei o mais forte que pude. Sabe quando você precisa mais de segurança? Quando eu abraço o Joe é assim, ele me passa uma calma enorme.
...

Cheguei cansada do trabalho. Hoje tinha sido um dia puxado já que teve uma festinha de uma garotinha lá no restaurante, tive que trabalhar dobrado. Hoje também era a noite em que eu iria comemorar com Joe. Entrei no apartamento, estava escuro. Selena deve ter saído com Nicholas. Assim que entrei pude ver velas na casa, rosas por todo o chão, e fui em direção do meu quarto com um sorriso bobo no meu rosto.

Demi: Isso não pode estar acontecendo – eu sussurrei para mim mesma, enquanto chegava no quarto. Havia velas por todo lado, e o cheiro de rosas se misturava com o perfume inconfundível de Joe. Em cima da minha cama havia um vestido e sapatos pretos perto dele, e no meu criado mudo uma carta. Resolvi ler, e a essa altura meus olhos estavam marejados. – Como você pode ser tão perfeito, garoto? – as duas palavras no envelope já me deixavam arrepiada. “Para Demetria”. Eu sorri e abri calmamente.

Eu te amo tanto minha pequena. Por favor, nunca se esqueça disso. Me encontra hoje ás 20h no cais, aquele que eu te encontrei chorando, você usava um vestido rosa, com a maquiagem borrada, mas mesmo assim ficava linda, foi quando eu me apaixonei, nem sabia o que era isso direito, mas você conseguiu despertar em mim. Use esse vestido que está em cima da cama, quero que fique mais perfeita do que é, o que é quase impossível. Te vejo lá. E só mais uma coisa... Eu te amo.
Joseph Jonas.
...

Eu usava o vestido escolhido por ele, um vestido roxo, não tão curto, com apenas uma alça, um salto preto perfeito, maquiagem básica, não queria nada exagerado, afinal, era apenas uma comemoração, não é? Algo me dizia que Joe queria que hoje fosse mais que especial. Olhei no relógio e faltavam apenas alguns minutos pras 20h, dei uma breve olhada no espelho, ajeitei um pouco os cabelos, e sai em direção da sala pra pegar minhas chaves. Selena ainda não havia chegado, acho que não esteja trabalhando, é bem provável que ela esteja com o Nick. Eu sorri comigo mesma, descendo as escadas do prédio. Aqueles dois eram pior que cão e gato, e hoje estão mais que juntos. Acenei para um TAXI e segui em direção ao cais. Paguei ao moço, e desci. Estava tudo tão lindo, o céu, o mar. Andei um pouco atrás de Joe, mas eu não achei. Peguei meu celular e ia ligar pra ele, mas duas mãos macias me tocaram fazendo me arrepiar.

Joe: Sabia que mocinhas indefesas não devem andar sozinhas, e ainda mais com o celular na mão? - eu sorri ao ouvir sua voz, virei e o abracei. - Senti sua falta. Ai meu Deus! Eu morri? Eu estou no céu? Demi, você está... está simplesmente perfeita.

Demi: Bobo! Eu também senti, muita. - cheguei mais perto dele e sorri docemente - E eu não sou uma mocinha indefesa. Eu tenho você. - percebi que Joe ficou arrepiado com a minha voz e chegou mais perto selando nossos lábios.

Joe: Vem. Quero te mostrar uma coisa. - ele pegou na minha mão pra que andássemos, mas eu fiquei parada. - O que foi? Não quer vir?

Demi: Não é isso, é que você é um bobo e esqueceu que eu estou de salto. - eu ri, e Joe começou a sorrir também.

Joe: Não seja por isso. - ele veio em minha direção e fingiu coçar a garganta. - Uhrn. - eu sorri e ele sorriu olhando pra mim.- Escuzes-moi, maidmoselle. - eu ria que nem uma criança com todo aquele cavalheirismo. Ele me pegou nos braços e começou a caminhar, eu só ria.

Demi: Andou malhando, não foi? - eu ri mais ainda.

Joe: Quem sabe... estou querendo impressionar uma garota. - eu fingi estar brava.

Demi: Que garota de sorte. - eu disse seca, e depois sorri, Joe sabia que era brincadeira.

Joe: Ah, é. Mas sabe... ela já me tem, e não por que eu andei malhando. - ele sorriu e olhou pra mim, docemente. - Bom, é aqui. - ele me tirou dos braços e eu fiquei impressionada com tudo aquilo.

Demi: Você fez isso sozinho? Meu Deus! Isso é lindo. - eu o beijei por todo o rosto.

Joe: O melhor para a melhor! - como assim? Ele havia roubado minha frase!

Demi: Hey! Essa frase é minha!- dei um tapinha leve em seu braço.

Joe: Tá com fome? - eu assenti. - Então vem. - nos sentamos e começamos a comer.

Demi: Joe! Isso aqui tá divino! Bela comemoração, não acha? - eu falei olhando pra lua e pro céu estrelado.

Joe: Já disse que bela é você! - ele sorriu se aproximando de mim. - Quer dar uma volta?

Demi: Claro, espera só um minuto. - falei enquanto desabotoava o fecho da sandália ficando descalça. - Pronto. - peguei em sua mão e saimos em direção da praia.

Joe: Posso fazer uma coisa? - Joe sorriu maroto.

Demi: Depen... - ele nem me esperou terminar e me pegou nos braços e correu até o mar. Eu sorri e ele sorriu olhando pra mim. - Você é louco, príncipe!

Joe: Preciso tirar uma foto nossa.

Demi: Mais uma?

Joe: Sim. - ele gargalhou e tirou a câmera do bolso, nós sorrimos e tiramos.

Demi: Ah, deixa de ser chato, Joe! Deixa eu ver! - ele me entregou a foto. - Princípe, eu estou horrível! Tira de novo! - eu ria e ele me abraçou, e sussurrou em meu ouvido.

Joe: É impossível! - eu sorri e continuamos a andar na praia. - Tá com frio? Eu posso te empres... - Joe perguntou preocupado.

Demi: Não, tudo bem. Pode ficar. - e a brisa gélida que vinha do mar me fez arrepiar.

Joe: Você está se arrepiando. - ele tirou seu blazer e colocou em mim. Eu vesti e esperei a aprovação de Joe.

Demi: Então...? Como estou? - eu dei uma voltinha e ele me segurou.

Joe: Tá gatinha! - ele começou a rir e eu também.

Demi: Joseph! - bati em seu ombro, e ri. Ele me abraçou por trás.

Joe: Obrigada.

Demi: Pelo quê? Você que fez tudo!

Joe: Por tudo, por ser quem você é, por ser minha princesa, por me amar, por estar me dando a melhor noite da minha vida. - eu sorri e virei pra ele, e ele me beijou, um beijo calmo e amoroso. – Me concede essa dança, senhorita? – ele ria e estendeu sua mão para que eu pudesse pegá-la.

Demi: Mas Joe, não tem música.

Joe: As melhores músicas são escutadas pelo coração. – ele sorriu torto, sabe aquele sorriso que te deixa toda derretida por dentro? Esse mesmo! Ele pôs suas mãos na minha cintura e eu coloquei minhas mãos ao redor do pescoço, e começamos com uma dança lenta. – Eu te amo.

Demi: Você é perfeito. Eu te amo. Obrigada por sempre estar do meu lado. E Parabéns, meu formando gatinho! – eu ria e continuamos a dança, ali mesmo, em plena praia.
...

Entrei no apartamento, sorrindo igual a uma idiota, já eram 5 horas da manhã e eu tinha que trabalhar às 8. Com meus saltos na mão, fechei a porta e me encostei nela, pus minha mão nos lábios, imaginando o gosto do beijo de Joe. Eu ainda não estava acreditando. Eu havia me entregado a Joe, e não me importava, eu o amo, e ele havia me dado a melhor noite a minha vida. Sorri abobalhada imaginando o quão boa tinha sido aquela noite.

Selena: DEMETRIA! ONDE VOCÊ ESTAVA? VOCÊ SABE QUE HORAS SÃO? VOCÊ TEM QUE TRABALHAR CEDO! ONDE VOCÊ ESTAVA E POR QUE ESTÁ COM ESSE VESTIDO PERFEITO E ESSE SALTO DIVO NA MÃO? VOCÊ TEM IDEIA DO QUANTO ME DEIXOU PREOCUPADA? – Selena havia me dado um susto, e eu nem liguei, estava feliz demais.

Demi: Saí com o Joe. Ele me deu a melhor noite a minha vida, amiga. – eu sorri e abracei ela.

Selena: Oh, não. Oh, não! CONTA TUDO! – Sel me puxou pro sofá com os olhinhos brilhando.

Demi: Tá. Foi perfeito. – eu contei tudo a ela, desde a hora que eu havia chegado do apartamento até a hora que a gente dançou sem música.
...

Eu estava procurando uma roupa pro trabalho, e não conseguia achar o meu sobretudo de jeito nenhum, Nova York fazia frio. Eu sorri, quando encontrei algo que me deixou feliz. O blazer de Joe, que ele havia me emprestado naquela noite. Depois de um tempo procurando finalmente achei o meu sobretudo e peguei o blazer e saí em direção a casa de Joe, tinha alguns minutos antes de ir trabalhar. Senti um pressentimento ruim, enquanto descia as escadas do prédio, sentia que algo tinha acontecido com Joe. Apressei os passos e cheguei a sua casa. Toquei a campainha, e aquela angústia no meu peito não saia. Frankie abriu a porta e seus olhinhos estavam vermelhos de tanto chorar, o que havia acontecido?

Frankie: Ah, oi Demi. Entra, o Joe está lá dentro. – ele abriu a porta me dando espaço pra entrar.

Demi: Tudo bem, pequeno. Obrigada, e não chora tá? – eu passei meu dedo em seu rostinho pra que ele não chorasse e dei um beijo em sua bochecha.

Joe: Frankie, quem era na... – eu vi Joe, ele estava chorando, me partia o coração vendo aquela cena, era como se estivessem me matando aos poucos. Corri pra abraçá-lo, e eu já chorava, eu não aguentava vê-lo assim. Ele me abraçava forte. Eu só retribuía, calada, eu não sabia o que tinha acontecido, mas não queria falar nada. Depois de um tempo Joe se afastou de mim. – A minha mãe, Demi... ela... – ele começava a chorar novamente.

Demi: Shhh... calma, eu estou aqui. – eu o abracei novamente. – Joe, tenho certeza que ela foi pra um lugar melhor, e ela sempre vai te amar, acredita em mim. – eu chorava também, apesar da nossa discussão, Denise sempre tinha sido uma boa pessoa comigo, uma sogra adorável. Passei minha mão naquele rosto delicado, e limpei uma lágrima solitária que insistia em cair do rosto de Joe.

Joe: Ela pediu pra eu te entregar isso. – ele falava com dificuldade, seus suspiros eram pesados, não estava sendo nada fácil pra ele, e eu sabia muito bem como era aquilo. Ele me entregou um envelope. O que será que tinha ali?

Demi: Pra mim? – ele assentiu, e eu olhei pro envelope. – Joe, eu só tenho mais uns minutos antes de ir pro trabalho, você quer que eu fique aqui?

Joe: Por favor. – ele me abraçou mais uma vez.
...

O medo de abrir aquele envelope havia me torturado o dia todo. O que será que tinha ali? Seria a Denise me proibindo de ficar com o Joe? Que por mais que ela tenha ido, ela não iria aceitar meu namoro com seu filho? Eram tantas perguntas, minha cabeça já latejava com essas dúvidas. Como sempre em Nova York era frio, e eu sentei em um banco de praça, perto do prédio onde eu morava. Encarei o envelope por alguns minutos, respirei fundo e com minhas mãos trêmulas por causa do nervosismo e do frio, abri o que estava me deixando aflita por horas.

Oi, Demi. Sei que minha hora está chegando, e por isso vou ser breve. Creio que tenha ficado chateada comigo por causa da nossa discussão. Mas eu só quero que saiba que eu fiz isso por amor. Amor a meu filho, amor a você, amor a minha família. Sabe... quando o Paul morreu, eu tive que me tornar pai e mãe pros meus filhos, tive que cuidar de toda a empresa que ele havia deixado. Em um desses negócios com várias empresas, ele virou sócio da família Greene. Bom... eles eram ricos e um bom negócio com a nossa empresa estaria por vir. Como você sabe, tem a Ashley. Desde um jantar que teve em reunião ela ficou obcecada por Joe. Quando ela soube que você e Joe namoravam, eu sentia raiva no olhar dela, eu não sabia do que ela era capaz. Uma semana depois, um dia antes da nossa “discussão”, ela havia me telefonado. Ameaçou a mim e a minha família, que se ela não ficasse com Joe, nós iríamos sofrer. Eu nunca contei nada a Joe, não queria preocupá-lo, ou fizesse alguma coisa com Ashley que arriscasse mais a gente, e por isso pedi que não ficasse mais com Joe. Eu adoro você, Demi. É uma honra ter você como minha nora, eu espero que fique bem com meu filho, e Ashley não consiga atrapalhar vocês, e se ela tentar algo, o amor de vocês é maior. Espero que um dia me perdoe, eu só quero que saiba que eu nunca quis que você e Joe não namorassem.
Com amor,
Denise J.

Então todo tempo foi isso? Ela quis proteger a mim e Joe? Eu sabia que Denise era uma mulher de ouro. Toda a minha aflição tinha ido embora enquanto eu lia a carta. Fiquei mais uns minutos ali, e eu ficava imaginando o quanto Denise era especial, mas lágrimas insistiam em cair. Ela tinha ido embora, e eu não a perdoei. Não como queria, na frente dela, mas onde quer que ela esteja, quero que saiba que eu a perdoei.
...


Eu posso dizer honestamente que andei pensando em você,
Desde que acordei hoje,
Eu olho para sua foto o tempo todo
E as memórias voltam a viver
E eu não me importo...

Eu acordei de manhã, mais cedo que o normal, eu não conseguia dormir. As lembranças da minha discussão com Joe tinha me atormentando a noite toda. As frases de Joe, ficavam ecoando na minha mente.

"Joe: Demi, para com isso! Você tá sendo muito esgoísta! Frankie precisa de mim!

Demi: Eu sei muito bem, mas você está dando atenção mais a ele do que a mim, e não aceita minha ajuda. O egoísta e infantil aqui é você!

Joe: Eu não preciso da sua ajuda, Demi! Você tem sua vida pra cuidar, e eu a minha e agora a o do Frankie. Tenta entender!

Demi: Para de ser cabeça dura, Joe! Você precisa de ajuda. E eu quero te ajudar, o que custa? Você é minha vida, entende isso, pelo amor de Deus.

Joe: Custa que você tem coisa mais importantes, você tem sua vida, seu emprego! Deixa eu cuidar do Frankie só!

Demi: Tudo bem, Joe. Você quer isso, só saiba que eu estarei aqui pra te ajudar, ok?

Joe: Obrigada.

Demi: E sobre aquela proposta de ir morar na California, você já esqueceu, não é?

Joe: Não, e eu queria te dizer isso hoje. Eu vou aceitar essa proposta. Vai ser melhor pra mim e Frankie. A empresa vai se expandir pra lá, e eu serei o presidente. Você não quer ir comigo?

Demi: O QUE? COMO? JOE, VOCÊ HAVIA ME FALADO QUE IA RECUSAR ISSO! EU NÃO VOU PRA CALIFORNIA! POR QUE VOCÊ FEZ ISSO? E A SELENA? E A MILEY? COMO ACHAM QUE ELAS VÃO FICAR? PODE ME CHAMAR DE INFANTIL, MAS VOCÊ QUEM QUER IR EMBORA...

Joe: COM VOCÊ!

Demi: Eu vou abandonar minha vida aqui?

Joe: Se você e amasse de verdade, não pensaria duas vezes!

Demi: Como você tem coragem de dizer isso? Você duvida do meu amor, Joe? Achei que você fosse diferente dos outros, mas é igual. Você só pensa em você! Eu não acredito que eu acreditei em todas as vezes que você dizia que estaria comigo, que estaria do meu lado. Já vi que era tudo mentira. E por favor, me esquece.

Joe: Adeus, Demi. Nunca esqueça que eu te amo.

Demi: Não sei se acredito."

Como aquelas palavras poderiam ser tão crueis e chegarem ao ponto de me matar por dentro? Aquela noite havia se tornado meu pesadelo. Era fácil Joe pensar que eu podia ir pra California, assim, do nada, mas não era. Eu ainda o amo, mas como ele teve capacidade de duvidar disso? Sei que eu ainda o amo, mas quando alguém duvida disso, a gente acaba magoada.
...

Eu lembro quando nos beijamos
Eu ainda tenho aquela sensação em meus lábios
Quando você dançou comigo
Sem nenhuma música tocando
Eu lembro as coisas simples
Lembro até eu chorar
Mas uma coisa que eu desejaria esquecer
A memória que eu quero esquecer
É o Adeus...

Joe: Frankie, você já terminou suas malas? Temos que pegar o voo logo. - Havia se passado uma semana que a gente tinha discutido. Ele preparou tudo pra ir à Califórnia, Los Angeles pra ser mais específica. A empresa apenas o esperava pra inaugurar. Iriam morar em um apartamento num hotel de luxo enquanto não compravam uma casa. Por que eu sei disso? Nick. Nick era melhor amigo de Joe e namora com Selena. Foi convidado pra trabalhar lá, mas só iria se Selena fosse e a Sel só ia se eu fosse. Ou seja, ninguém foi, complicado, mas tudo bem.

Frankie: Acho que coloquei tudo, só preciso achar meu ursinho. - Ele procurava e não encontrava nada, e falou pra Joe que depois voltaria e pegava. Caminharam até o táxi que o levariam até o aeroporto. A dor e a saudade me consumiam, eu o vi ir embora da minha janela e não pude fazer nada pra impedi-lo ou dizer que o amo pelo a última vez. Eu sabia que eu havia perdido. Pra sempre. O que seria de mim, agora? Joe era tudo. Selena, Miley, Ashley e Chelsea ainda estavam comigo. Nick me ajudou como nunca, mas sem ele é como eu não tivesse mais nada no mundo. O táxi saia e a cada segundo meu coração se sentia mais quebrado, parando aos poucos. As lágrimas? Me consumiam completamente e nem ligava pro meu estado. Lembrei vagamente das lembranças da nossa noite perfeita. O seu beijo, o seu cheiro, quando dançamos sem música, suas palavras, seu sorriso, seu “eu te amo”. Tudo doía, porque dessa vez eu teria certeza que eu perdi a coisa que me mantinha viva. E eu me culpo por isso. Por que simplesmente eu não fui pra Califórnia com ele? Lembrei que quando a mãe de Joe faleceu, eu dormia quase toda noite na casa dele e ele me deu a cópia de uma chave da casa. Revirei minhas roupas procurando meu sobretudo que estava a chave. Eu resolvi visitar a casa pela última vez, saber que ali eu tive momentos que por mais simples, foram os mais felizes da minha vida. Andei até a casa dele e nem ligava pro meu estado, descabelada e chorando, porque a dor era maior. Girei a chave e respirei fundo. Tudo vazio. A casa antes com vida se transformava num belo e sóbrio lugar. Não se ouvia nada como antes. As risadas de Frankie com as cócegas de Joe ou os gritos da dona Denise chamando para comerem.
...

Eu acordei essa manhã
E toquei nossa música
E com lágrimas eu cantei junto
Eu peguei o telefone, e o coloquei no gancho
Porque eu sei que estou perdendo meu tempo
E eu não me importo...

Alguma coisa por mais que me fizesse me machucar mais ainda, me prendia. Eu sentia que algo não queria que eu fosse embora. Passei a mão com a tentativa inútil de secar minhas lágrimas, mas não consegui. Olhei de relance e vi ao lado de uma caixa pequena jogada no chão, um porta retrato com minha foto e a do Joe no dia em que fomos à pra comemorar sua formatura e dentro da caixa havia mais e mais fotos.
...
Frankie: Joe! Eu quero meu ursinho! A gente só vai embora quando ele estiver comigo. – Frankie estava aos prantos e gritava no aeroporto, só iria embora se o urso dele estivesse junto.

Joe: Frankie, você falou que depois ia buscar! Anda, a gente tem que embarcar ou perderemos o voo.

Frankie: Nós não vamos a lugar nenhum sem o Teddy! – ele se sentou em um banco e chorava como nunca, ele nunca soltou aquele urso e o medo de andar de avião sem o amigo era terrível.

Joe: Temos uns 20 minutos até o avião partir. Fica aí e não sai pelo amor de Deus. Eu vou buscar esse urso. – Joe pegou o primeiro táxi que viu pela frente e pediu que fosse o mais rápido possível. O caminho ia ser um pouco longo e ele pegou seu celular que se encontrava perdido no bolso de seu casaco junto com alguns papéis. E o papel de parede? Outra foto minha e dele. Nossa primeira foto. As lembranças e as lágrimas vinham com a maior rapidez do mundo fazendo Joe perceber a maior burrada que havia feito em toda sua vida. Deixar escapar a mulher que fazia o sorrir só com seu nome, a que causara suspiros no meio da noite, a que dominava seus pensamentos durante as 24 horas do dia.
...
De repente meu celular toca
Com o seu toque
Eu hesito, mas respondo de qualquer forma
Você parecia tão sozinho
E eu me surpreendo em ouvir você dizer...

Meu celular tocava, o nervosismo era o que me fazia tremer nesse instante. Ele ligava. Deveria atender? Agi por impulso, não queria nem saber a saudade de ouvir a voz dele era maior.

Joe: Demi? Preciso falar com você! Me desculpa, eu estou cometendo o maior erro da minha vida. Me perdoa, sei que fui um idiota mas eu te amo. Se você não acei... - ele falava muito rápido, eu precisava pará-lo.

Demi: Shhh, calma, eu que sou culpada. Você fez de tudo pra me ter por perto e eu faço isso. Se alguém tem que perdoar é você. Me perdoa?

Que você se lembra quando nos beijamos
Que você ainda tem essa sensação nos lábios
Do tempo que você dançou comigo
Sem nenhuma música tocando
Você lembra das coisas simples
Nós falamos até nós chorarmos
Você falou que o seu maior arrependimento
Aquele que você queria que eu esquecesse...

Joe entrou na casa como um louco precisava sentir meu cheiro, meu beijo e falar que me amava pra sempre. E fez isso. Eu sentia falta do seu beijo, o seu toque me levava a loucura. 

Joe: Aceita ser minha de novo? - não pensei duas vezes e o beijei como nunca o havia beijado. Ele era meu. Ele sempre foi meu. Meu conto de fadas havia se completado. Eu estava nos seus braços e dali não sairia nem tão cedo.

Frankie: Com licença, Demi. O meu urso. - O QUE FRANKIE FAZIA ALI?

Jemi: FRANKIE?

Frankie: Oi, porque estão assustados? O tio Nick e a tia Sel me trouxeram aqui. - Selena e Nick? Como assim?

Selena: Er... Oi! Joe, porque você deixou o Frankie sozinho em pleno aeroporto? Você podia ter perdido ele! Seu irresponsável!

Joe: Não fui eu que fiz escândalo por causa de um urso, não é, Frankie?

Nick: Jura que você não fez isso Frankie? Vai receber uma porção de cócegas. Melhor correr! - Bom, Joe e Frankie haviam perdido o voo. Selena e Nick corriam atrás de Frankie e eu finalmente me sentia completa.

Joe: Demi, eu nunca quis dar adeus. Me perdoa? Eu tenho uma coisa aqui, espera deixa eu achar. - ele procurava pelos bolsos e não achava nada olhava pelo chão e luz refletiu o brilho de um pequeno anel no fundo da caixa com nossas fotos. Me abaixei e peguei aquilo que parecia muito importante para Joe.

Demi: Tá procurando isso?

Joe: É, como você achou? Ela estava... Ah, não importa. Com licença. - ele pegou o anel da minha mão e se ajoelhou na minha frente. - Não era bem assim que eu queria te falar isso, mas.... Demi, aceita ser minha pra sempre? - Eu só o beijei tendo a certeza que agora eu seria a garota mais feliz do mundo, a sua princesa.

Is goodbye.

Oi gente. Aqui é a Cris, insuportável amiga da Juliana. Bom, ela com toda paciência do mundo esperou esse post quase morrendo. E aqui está. Essa fic está horrível, podem falar, eu sei que está. Eu que fiz ela, haha. Me inspirei na música da Miley, Goodbye. E bom, a Juh está com bloqueio de ideias, escola, problemas e muita coisa. Ela pediu que eu postasse pra compensar vocês porque ela não está conseguindo postar. Eu espero que vocês entendam e que ela não abandonou vocês. Só tenham paciência e a desculpem, tá? :) Voltando a mini fic... Eu fiz ela mas eu sou uma péssima escritora diferente da Juliana, mas acho que dá pra ler, hahaha. podem comentar mal ou bem vai me deixar feliz porque pelo menos vocês leram. De qualquer forma, obrigada. E desculpem a Juh, tá? Assim que der ela posta. E caso queiram falar comigo, estou sempre, sempre mesmo no twitter: lovatoshorty :) Beijos, amo vocês.

Love, Cris :)


7 comentários:

  1. AMEI essa Mini Fic... Muito PERFEITA
    Muito linda. Te amo Frankie por fazer escândalo por causa de um ursinho! kkkk
    PERFEITO
    BeiJemi

    ResponderExcluir
  2. Muito linda a mini-fic!
    Você escreve muito bem!
    Xoxo

    ResponderExcluir
  3. EU CHOREI LENDO, NÃO RIA DE MIM EU TENHO SENTIMENTOS, SÉRIO É MUITO LINDA.
    AMEI D+
    PERFEITA
    VOCÊ ESCREVE MUITO BEM CRIS,
    ADOREI

    BEIJEMI S2 *------*

    ResponderExcluir
  4. mini fic perfeita...linda demais...

    romantido do inicio ao fim

    bjo bjo

    ResponderExcluir
  5. Papo Pra Garotas
    http://www.papopragarotas.blogspot.com.br/
    Pfff, leiam, sigam e comentem.... ||

    ResponderExcluir
  6. LINDO DEMAAAIS!
    Perfeito, Cris! :)

    ResponderExcluir